Visita ao Poço Encantado na Chapada Diamantina

Publicado por

Há muitos anos (provavelmente no século passado…), em minha primeira viagem à Chapada Diamantina, estive no Poço Encantado. Nem me lembro o mês, mas não era época da incidência do sol dentro da gruta, o que acontece só em um período do ano – de maio a agosto. Mesmo assim, foi uma experiência de total encantamento – você passa por uma passagem estreita, desce por uma gruta escura e, de repente, voilá, o Poço Encantado e suas águas cristalinas.

Desta vez, bem planejados, programamos o Poço Encantado para ser o primeiro passeio em um dia ensolarado de nossa viagem. Era Junho, época certa pra vez a luz azul, mas a gente ainda tinha que contar com a ajuda de São Pedro pro tempo estar favorável. E olha que ainda assim, quando chegamos, tivemos que esperar um pouquinho porque já tinha descido um grupo antes da gente.

A gente entra por aqui 🙂

Esperamos a nossa vez. É preciso descer de capacete com lanterna, fornecidos no local. Durante a espera dá pra se informar sobre como o Poço foi descoberto, fazer um lanche, comprar um litro de mel da região (pra pegar na volta).

… e vai descendo…

Descemos. A parte externa do caminho é toda em escadas – 230m de trilha em 325 degraus até chegarmos à fenda que dá acesso à gruta, onde passamos por uma parte mais escura e empoeirada.

Andamos mais um pouco e percebemos a luz entrando pela abertura principal, o caminho fica mais visível e é só deslumbramento. Sentamos nas pedras para apreciar o espetáculo. No nosso caso foi bem especial porque o céu tinha muitas nuvens, então as cores ganhavam mais vida toda vez que o sol saía e o raio de luz entrava na gruta, lindão.

*suspiro…*

Quando você olha pela primeira vez tem a impressão de ver o reflexo da gruta na água – mas depois de alguns segundos seu cérebro vai fazendo as sinapses e chega à conclusão que aquilo que você vê no lago, na verdade, é o fundo da gruta, com total transparência.

O guia nos avisa que podemos ficar ali apreciando aquela maravilha por 15minutos e depois temos que começar a sair. Tudo bem. Deu tempo suficiente pra compreender e contemplar aquela lindeza, agradecer ao universo e tirar fotos.

Depois, é subir aqueles mesmos degraus que descemos, com bastante calma. Nosso grupo tinha 2 idosos e 1 criança, são tempos e esforços variados para cobrir as distâncias, cada um respeitando seu limite.

De lá, seguimos para o Poço Azul. Pegando novamente a estrada de asfalto, há um acesso de terra logo uns 5km adiante, sentido Mucugê. Pegando esta via, deixamos o carro do outro lado do Rio para o acesso ao Poço Azul e atravessamos de barquinho (R$6 por pessoa, ida e volta). Foi assim que fizemos, era o caminho mais curto e o barquinho ainda foi mais um elemento bacana da viagem pra contar depois e tirar boas fotos. Nesta estrada também dá pra aproveitar o banho no Olho d´Água, mas quando fomos a comunidade que dá acesso não estava recebendo visitantes devido à Pandemia.

Vale ressaltar:
– O Poço Encantado tem incidência de luz azul o ano inteiro. O tal facho de luz, que deixa tudo ainda mais lindo, é que tem época certa de ver.
– Instagram – @pocoencantado_oficial
– Facebook – facebook.com/pocoencantado
– No Google Maps – Poço Encantado
– O acesso pelo asfalto é bem sinalizado e dá pra marcar no Google Maps. Quando pegamos a estrada de terra a sinalização já não era tão clara, mas seguimos a marcação dos pneus e deu tudo certo 😉
– Lá você conta com restaurante de comida caseira, lanchonete, lojinha de artesanato e banheiros.
– O ingresso (junho/21) era R$35 por pessoa, pagamentos aceitos até via PIX, com wifi que fornecem no local.
– É prudente chegar cedo, pois há um limite de visitantes por vez e a espera, a depender da época, pode ser longa.

A História
O Poço Encantado está situado em uma fazenda pertencente a uma família de descendentes de imigrantes belgas, que chegou aqui no início do século XX fugindo da devastação da 1a Grande Guerra. Foi um dos descendentes desta família que descobriu o Poço, por volta de 1950. Reza a lenda que ele caçava uma uma onça que estava dando conta do gado da região – ele foi até o paredão onde está a entrada da caverna e acabou encontrando o que viria a se tornar a piscina da família. Por muitos anos, até a década de 70, era permitido nadar no Poço Encantado. Até hoje dá pra ver a escada que foi instalada pelos primeiros frequentadores, que agora só é usada periodicamente para limpar o calcário que se acumula na superfície da água.

Este texto apareceu primeiro no Caderninho da Adri. O passeio fez parte de uma viagem de 6 dias à Chapada Diamantina/BA pela região de Mucugê, em Junho/2021.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s